Monirul Alam/EFE/EPA
Monirul Alam/EFE/EPA

Três pacientes graves de covid-19 morrem durante incêndio em hospital de Bangladesh

Vítimas usavam respiradores na unidade de terapia intensiva e não resistiram ao processo de evacuação; ainda não há informações sobre a causa das chamas

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2021 | 04h28

DHAKA - Pelo menos três pacientes graves com coronavírus morreram quando tiveram de ser evacuados da UTI de um hospital de Dhaka, capital de Bangladesh, após um incêndio nesta quarta-feira, 17. Não há informações sobre a identidade das vítimas.

“Todos os pacientes na UTI estavam em estado crítico. Eles estavam em suporte ventilatório. Logo após o início do incêndio, foram rapidamente evacuados para a UTI do prédio antigo e a unidade de queimados. Três pessoas morreram durante a evacuação”, disse o diretor do Dhaka Medical College and Hospital, Nazmul Haque.

Um total de 14 pacientes graves estavam sendo tratados na terapia intensiva da unidade, onde cerca de 500 pacientes com coronavírus estão internados atualmente.

À EFE, o vice-diretor da unidade, Alauddin Al Azad, afirmou, sobre os mortos, que "nenhum deles sofreu queimaduras, mas faleceram no momento da transferência porque já se encontravam em estado crítico".

Ele acrescentou que suspeitam que o incêndio pode ter sido provocado por um curto-circuito. No entanto, o Corpo de Bombeiros ainda não confirmou a causa.

O oficial da corporação Zia Rahman informou, ao portal de notícias local Dhaka Tribune, que o fogo começou nas instalações da UTI de covid-19 no terceiro andar do novo prédio da unidade de saúde por volta das 8h (23h de terça-feira no horário de Brasília). 

“O incêndio provocou uma fumaça densa dentro da instalação. Tivemos de quebrar as janelas para deixar a fumaça sair e resgatar os pacientes”, disse Rahman. Ainda de acordo com ele, três viaturas foram até o local para apagar as chamas.

Regulamentações e fiscalizações precárias são frequentemente responsabilizadas por grandes incêndios no país do sul da Ásia, que mataram centenas de pessoas nos últimos anos.

Em Bangladesh, os hospitais estão lutando para lidar com um novo pico de infecções por coronavírus neste mês. Até o momento, mais de 560 mil casos e quase 8,6 mil óbitos já foram registrados./ ReutersEFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.