Três palestinos mortos em confronto armado

Pelo menos três palestinos morreram em um confronto que começou quando um grupo de palestinos armados penetrou no assentamento judeu de Eley Sinai, ao norte de Gaza, informaram fontes citadas pela rádio militar israelense. Mais cedo hoje, as autoridades militares israelenses haviam reconhecido que os ataques terroristas palestinos têm diminuído notavelmente desde que o líder palestino Yaser Arafat pediu, em um discurso há duas semanas, que cessasse este tipo de violência.O ministro da Defesa, Binyamin Ben-Eliezer, disse neste domingo, durante uma reunião do gabinete, que a quantidade e a severidade dos ataques tinham diminuído pela segunda semana consecutiva. Não obstante, o primeiro-ministro Ariel Sharon afirmou que os palestinos precisam fazer muito mais, e disse aos membros do gabinete que não retomará as negociações de paz enquanto a Autoridade Nacional Palestina (ANP) não der "os passos essenciais para prender os terroristas e castigá-los".Os ataques palestinos - incluindo tiroteios e atentados explosivos - caíram de uma média de 18 por dia, antes do discurso de Arafat, para 11 diários, informou o Exército. Um total de 37 israelenses morreram na primeira quinzena de dezembro, antes do discurso de Arafat pela televisão transmitido no dia 16 deste mês. Desde então, apenas um médico israelense morreu, no dia 25, atingido por um disparo durante um ataque na fronteira jordaniana. Não se sabe quem perpetrou o ataque. Por outro lado, desde o início de dezembro as forças israelenses mataram mais de 70 palestinos, a maioria dos quais nos confrontos ocorridos diariamente na primeira metade do mês. No mesmo mês, a ANP também deteve cerca de 200 supostos militantes extremistas palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.