Sean Murphy/AP Photo
Sean Murphy/AP Photo

Três pessoas morrem em ataque a tiros em loja do Walmart em Oklahoma, EUA

Suspeito teria se suicidado após ter matado um homem e uma mulher no estacionamento em frente ao supermercado; ataque com arma foi o quarto nos últimos quatro dias

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2019 | 17h12

WASHINGTON - Três pessoas foram mortas em um ataque a tiros na manhã desta segunda-feira, 18, em uma loja da rede de supermercados Walmart em Duncan, Oklahoma, nos Estados Unidos, informou a imprensa local citando a polícia e uma patrulha rodoviária.

De acordo com a rede de televisão TNN, o chefe de polícia de Duncan, Danny Ford, disse que o tiroteio ocorreu fora da loja, no estacionamento, e o suspeito é um dos mortos. Ele teria se suicidado.

Outro homem e uma mulher morreram no ataque, informou a polícia. Os corpos deles foram encontrados dentro de um veículo nos arredores do supermercado. 

As escolas da região foram temporariamente fechadas, por aproximadamente meia hora, antes de receberem o aval da polícia local para voltar a funcionar, de acordo com um comunicado das Escolas Públicas de Duncan no Facebook. 

O ataque ocorreu pouco antes das 10h horário local (13h horário de Brasília). A polícia de Duncan, situada a 105 km da capital Oklahoma City, descreveu o suspeito como um homem "vestido completamente de preto", e pediu qualquer informação relacionada a ele. 

Testemunhas do ataque afirmaram à imprensa local que ouviram nove disparos no supermercado, e viram o suposto assassino tirando a própria vida depois de um civil armado ter se aproximado dele. 

Em uma outra loja do Walmart em El Paso, Texas, um atirador causou a morte de 22 pessoas e deixou 24 feridos em agosto. O criminoso de 21 anos disse que lançou o ataque mortal em resposta ao que chamou de "invasão hispânica" do Texas.

Em julho, uma semana antes, outra loja do Walmart, no Mississippi, foi palco de outro ataque, quando um funcionário insatisfeito matou dois colegas de trabalho e feriu um policial.

O Walmart afirmou na sequência dos dois tiroteios dentro de suas lojas, com uma semana de distância entre um e outro, que limitaria as vendas de armas e munições.

O ataque a tiros de hoje é o quarto nos Estados Unidos nos últimos quatro dias; na última sexta-feira, um aluno de uma escola próxima a Los Angeles matou dois estudantes e se suicidou com um disparo na cabeça. Ele morreu dias depois do ocorrido

Menos de 24 horas depois, no último sábado, cinco pessoas morreram, incluindo três crianças, e outra ficou ferida em um ataque em uma casa em San Diego, na Califórnia.  

No domingo, a polícia de Fresno, na Califórnia, disse que quatro pessoas foram mortas a tiros e outras seis ficaram feridas durante um ataque em uma reunião de amigos para assistir a um jogo de futebol. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.