Três pessoas morrem em tiroteio na Cisjordânia

Dois atiradores palestinos abriram fogo hoje contra um posto de controle, matando um policial israelense antes de serem mortos. O tiroteio ocorreu na cidade de Baka al-Gharbiyeh, perto da "linha verde", que divide a Cisjordânia de Israel. Um membro das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa (ligadas à Fatah, a facção de Arafat) disse que dois homens do grupo foram mortos durante choques com soldados israelenses quando seguiam para cometer um ataque suicida. Um deles era um jovem de 18 anos, da cidade de Nablus, Cisjordânia, e o outro, de 21 anos, era de Silet al-Dhaher, de Jenin. Hoje as forças israelenses capturaram um dos fundadores da Fatah, Sakher Habah, depois de atacarem a sede do movimento em Ramallah. Segundo agentes de segurança palestinos, Habash foi detido com numerosos palestinos, entre eles vários policiais, que buscavam refúgio em um prédio de Ramallah. As tropas israelenses detiveram ontem 145 palestinos durante buscas realizadas de casa em casa. Em um comunicado, a Fatah anunciava ter ordenado uma "mobilização geral" de seus membros prometendo uma resposta "inimaginável" e "ataques ao redor do mundo" se Israel machucasse Arafat. Ainda hoje, aviões israelenses dispararam mísseis contra a fronteira libanesa, depois que membros do grupo guerrilheiro libanês Hezbollah atacaram posições israelenses na região das Fazendas de Shebaa, perto das Colinas do Golan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.