Cliff Owen / AP
Cliff Owen / AP

Três príncipes sauditas são presos por "conspiração", dizem jornais

Jornais norte-americanos informaram sobre a prisão dos membros da família real saudita

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2020 | 05h44

As autoridades sauditas prenderam três membros da família real, informou a mídia americana, em uma etapa que ilustra o fortalecimento do controle do poderoso príncipe herdeiro Mohammed bin Salman.

O príncipe Ahmed bin Abdelaziz al-Saud, irmão do rei Salman, assim como um sobrinho do monarca, o príncipe Mohammed bin Nayef, foram presos em suas casas depois de serem acusados ​​de conspirar, informou o Wall Street Journal, citando fontes anônimas.

Os dois homens, que foram candidatos potenciais ao trono, são acusados ​​de "fomentar um golpe para derrubar o rei e o príncipe herdeiro", disse o jornal.

Portanto, eles enfrentam prisão perpétua ou até pena de morte, acrescentou a fonte.

O New York Times também informou sobre as prisões, acrescentando que o irmão mais novo do príncipe Nayef também foi preso.

As autoridades sauditas não reagiram imediatamente a essa informação.

O príncipe herdeiro gradualmente fortalece seu controle do poder aprisionando líderes e militantes religiosos, além de príncipes e empresários importantes.

Filho do rei Salman, o príncipe herdeiro também enfrentou fortes críticas internacionais após o assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi no consulado do país em Istambul em outubro de 2018.

O príncipe Septuagenário Ahmed retornou ao reino de Londres depois que o escândalo Khashoggi estourou, uma decisão que alguns interpretaram como um desejo de mostrar seu apoio à monarquia.

Enquanto isso, em junho de 2017, quando o príncipe bin Salman foi nomeado herdeiro, o príncipe Nayef era ministro do Interior. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.