Três soldados dos EUA morrem no Iraque

Três soldados norte-americanos foram mortos e um ferido em incidentes separados no centro e norte do Iraque, no dia mais letal para as forças norte-americanas no país desde julho. As mortes deixam claro que, apesar de Washington ter declarado o fim das operações de combate em agosto, seus 50 mil soldados que permanecem no país continuam em risco.

AE, Agência Estado

15 de janeiro de 2011 | 13h35

O pior incidente deste sábado deixou dois soldados mortos e um ferido "enquanto conduziam operações no norte do Iraque", informou um comunicado militar, sem dar mais detalhes. O major Rob Phillips, um porta-voz do Exército norte-americano, disse que o fato ocorreu na cidade de Mosul, onde um representante do Exército iraquiano havia dito mais cedo que dois soldados iraquianos abriram fogo contra norte-americanos num centro de treinamento. Nem Phillips nem o oficial iraquiano, no entanto, ligaram as mortes a estes disparos.

Separadamente, um terceiro soldado norte-americano foi morto no sábado "enquanto conduzia operações no centro do Iraque", informou um comunicado dos EUA, também ser dar detalhes. O número de mortos é o mais alto num único dia para as forças norte-americanas desde 2 de julho, quando três soldados morreram, segundo o site independente www.icasualties.org. As mortes elevaram a 4.435 o número de soldados dos EUA mortos no Iraque desde que a invasão ao país liderada pelos EUA, em 2003, derrubou Saddam Hussein. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraquesoldadosnorte-americano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.