Tribos árabes de Darfur assinam pacto após 140 mortes

Tribos rivais de Darfur assinaram umatrégua depois que mais de 140 pessoas morreram em conflitos,disseram neste domingo uma autoridade e líderes tribais. "É um acordo para cessar as hostilidades", disse à ReutersMohammed Ahmed Hassan, líder tribal Terjem, sobre o acordo quesua tribo assinou com os Rizeigat no sábado. "Se os Rizeigat aderirem e respeitarem o governo, os Terjemnão violarão o acordo", disse. As duas tribos são árabes e vivem no estado de Darfur Sul.A luta entre elas dura meses, mas um acordo de reconciliaçãoassinado em fevereiro entrou em colapso em julho. Ali Hassan, líder tribal Rizeigat, disse que seu grupo estácomprometido. "Estamos tentando explicar o acordo ao nossopovo", afirmou. A maioria das vítimas nos confrontos é Terjem. "Cerca de 145 pessoas do nosso povo foram mortas entre 30de julho e 8 de agosto", disse Mohammed Ahmed Hassan,acrescentando que 40 pessoas com ferimentos graves ainda estãono hospital em Nyala, capital do estado. "Nós enterramos os mortos em sepulturas coletivas", disseele, afirmando que os Rizeigat tem mais poder de fogo. O ministro do Trabalho de Darfur Sul, Abdul Rahman al-Zein,afirmou antes que três Rizeigat morreram nos combates. As duas tribos trocam acusações pelo início da luta. Os Terjem são agricultores sedentários e os Rizeigat sãocriadores de gado nômades. Os últimos problemas começaramquando os Rizeigat mudaram-se para o norte em usa migraçãosazonal, passando perto de território Terjem. Os Terjem dizemque o gado comeu suas plantações. As lutas por terras e recursos já duram décadas em Darfur,mas uma revolta geral explodiu na região em 2003. O conflitoprovocou a proliferação de armas, piorando os conflitostribais. Especialistas internacionais estimam que 200.000 pessoasmorreram e 2,5 milhões foram expulsas de suas casas na luta emDarfur, onde rebeldes não árabes iniciaram a revolta armadaacusando Kartum de negligência. Kartum afirma que somente 9.000 pessoas morreram naviolência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.