Tribunal acusa 4 por assassinato de ex-líder do Líbano

Tribunal especial apoiado ONU enviou a procurador-geral acusações formais e sigilosas sobre o caso

AE, Agência Estado

30 de junho de 2011 | 08h49

BEIRUTE - Quatro pessoas foram acusadas de participação no assassinato do ex-primeiro-ministro libanês Rafiq Hariri, ocorrido em 2005. Nesta quinta-feira, 30, um tribunal especial libanês apoiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) enviou ao procurador-geral do país as acusações formais e sigilosas sobre o caso, afirmou uma fonte da oposição à agência de notícias France Presse.

"A informação que temos é a de que um grupo de juristas do Tribunal Especial para o Líbano enviou hoje ao procurador-geral, Saeed Mirza, uma acusação no caso", afirmou Fares Soueid, graduado membro da coalizão "14 de Março", apoiada pelo Ocidente.

 

Sua declaração foi feita após a divulgação da notícia em canais de televisão locais de que a acusação havia sido entregue.

Segundo a rede CNN, que cita uma fonte libanesa anônima ligada ao tribunal, entre as quatro pessoas acusadas formalmente estão aquelas suspeitas de realizar o ataque.

 

Outras duas listas com pessoas acusadas formalmente devem ser divulgadas no em breve e incluirão os organizadores do atentado com uma bomba, que matou Hariri e mais 22 pessoas em fevereiro de 2005, explicou a fonte. As informações são da Dow Jones, com agências internacionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.