Tribunal acusa xeque da morte de Daniel Pearl

Um tribunal da cidade de Karachi, no sul do Paquistão, acusou, nesta sexta-feira, formalmente, o militante islâmico xeque Ahmed Omar Saeed, de 29 anos, e dez de seus seguidores, do seqüestro e assassinato do jornalista do Wall Street Journal Daniel Pearl, cujo corpo ainda não foi encontrado.Três seguidores de Saeed, que estão detidos, enviaram mensagens eletrônicas com fotos do repórter, ameaçando matá-lo caso suas exigências não fossem atendidas. Os outros sete acusados estão foragidos. Eles podem ser condenados à pena de morte se forem considerados culpados.Segundo o promotor Raja Qureshi, o julgamento de Saeed vai começar no próximo dia 29. Saeed, considerado o mentor do seqüestro e assassinato de Pearl, nasceu na Grã-Bretanha e está detido desde fevereiro. Trinta e uma testemunhas da acusação vão prestar declarações durante o processo, entre elas vários agentes do FBI, a polícia federal americana, que ajudou nas investigações.Pearl, de 38 anos, foi seqüestrado em 23 de janeiro no Paquistão, quando fazia uma reportagem sobre movimentos extremistas. Um vídeo enviado ao consulado americano em Karachi, quase um mês depois, mostrava o jornalista sendo decapitado por seus captores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.