Tribunal adia julgamento de Morsi para 8 de janeiro

O tribunal egípcio responsável pelo julgamento do ex-presidente Mohammed Morsi adiou os procedimentos para 8 de janeiro. Morsi é acusado de ter incitado a violência contra seus opositores e também por assassinato. Se condenado, ele pode ser sentenciado à morte.

Agência Estado

04 de novembro de 2013 | 09h41

Assim que o julgamento teve início, o juiz pediu ao ex-presidente que se identificasse com réu. Morsi declarou que "eu sou o doutor Mohammed Morsi, o presidente da república. Eu sou o legítimo presidente do Egito". Ele também afirmou que "eu me recuso a ser julgado por este tribunal".

Morsi afirmou que o tribunal não tem jurisdição sobre ele e que os líderes do golpe, que o tirou do poder em 3 de julho, devem ser julgados. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoMorsijulgamentoadiamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.