Peruvian Judiciary / AFP
Peruvian Judiciary / AFP

Tribunal afasta juiz responsável pela prisão de Keiko Fujimori no caso Odebrecht

Segunda Turma Penal de Apeleções do Peru acolheu ação apresentada pela defesa de um dos investigados sobre imparcialidade de Richard Concepción Carhuancho

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2019 | 04h34

LIMA - O juiz peruano Richard Concepción Carhuancho, responsável por mandar para a prisão a líder opositora Keiko Fujimori, filha do do ex-presidente Alberto Fujimori, foi afastado do caso que a investiga por supostas vantagens indevidas pagas pela empreiteira brasileira e participação em esquema de lavagem de dinheiro durante as eleições presidenciais de 2011.

A decisão foi proferida pela Segunda Turma Penal de Apeleções Nacionais do Peru. A corte considerou "fundamentada" a ação apresentada pelo ex-chefe de campanha de Keiko, Jaime Yoshiyama, também investigado no mesmo caso. Ele alega imparcialidade em declarações do juiz Carhuancho à imprensa, no qual o magistrado acusa o Partido Força Popular de "capturar" a procuradoria pública após a demissão de promotores responsáveis pelas investigações.

Ao determinar o afastamento de Carhuancho, a Segunda Turma Penal de Apelações ordenou que um novo juiz assuma o caso. Fontes judiciais afirmaram que a troca de magistrado não afeta as decisões proferidas no caso até o momento.

"Essa situação me causa surpresa e indignação", disse à rádio RPP o procurador Rafael Vela, responsável pelas investigações relacionadas à Odebrecht no Peru. Segundo ele, as ações para afastar o juiz são "ilegais".

Carhuancho foi o juiz responsável por decretar pena de três anos de prisão para Keiko Fujimori em outubro do ano passado. Ela é acusada de lavar US$ 1,2 milhões durante sua campanha presidencial em 2011. O magistrado também colocou atrás das grades o ex-presidente Ollanta Humala e determinou a captura internacional do ex-presidente Alejandro Toledo, que reside nos Estados Unidos. Ambos também são investigados por lavagem de dinheiro em ações relacionadas à Odebrecht.

Por conta de suas decisões em casos envolvendo grandes figuras políticas, Carhuancho se tornou uma figura pública do Peru e um juiz respeitado no país. Em 2017, a inteligência policial peruana desarticulou um plano de assassinato contra ele. /ASSOCIATED PRESS, AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.