Tribunal chinês mantém condenação de jornalista do "NYT"

O Tribunal Superior de Pequim negou a audiência de apelação pedida por Zhao Yan, colaborador do jornal The New York Times condenado em agosto a três anos de prisão por fraude, denunciou nesta terça-feira a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF). "Dias depois de negar a Ching Cheong uma audiência de apelação, o jornalista também não recebeu seu direito fundamental a um julgamento justo", disse a organização em comunicado. Os advogados de Zhao tinham apelado da sentença e, agora, deverão se limitar a apresentar novas provas de forma escrita aos juízes. Segundo RSF, "em ambos os casos, parece que o sistema judiciário chinês tem medo da verdade". Zhao foi preso em 17 de setembro de 2004, acusado de revelar segredos de Estado, acusação que o governo chinês costuma empregar contra intelectuais ou jornalistas "incômodos", segundo a RSF. Em agosto, ele foi absolvido das acusações mas condenado por fraude, num julgamento cheio de irregularidades no qual, segundo RSF, a defesa foi impedida de interrogar as testemunhas da acusação. Em seu recurso de apelação, Zhao tinha solicitado que as testemunhas fossem submetidas a um detector de mentiras. Segundo os grupos de direitos humanos, a razão da condenação foi uma notícia publicada em 2004 pelo jornal americano, antecipando com exclusividade a aposentadoria política do ex-presidente Jiang Zemin e suas desavenças com Hu Jintao.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.