Efe
Efe

Tribunal chinês mantém pena de prisão perpétua para ex-líder do PC

Estrela do partido, Bo Xilai foi condenado corrupção, pagamento de suborno e abuso de poder

O Estado de S. Paulo,

25 de outubro de 2013 | 10h29

Uma corte do leste da China rejeitou nesta sexta-feira,25, um recurso apresentado pelo ex-dirigente político Bo Xilai e, como esperado, manteve a pena de prisão perpétua por acusações de corrupção, pagamento de suborno e abuso de poder.

Bo, que era uma estrela em ascensão nos círculos da liderança chinesa cultivando uma linha populista de inspiração maoista, foi condenado em setembro após um caso que chocou o Partido Comunista chinês.

A carreira política de Bo foi encerrada no ano passado por um escândalo, em que sua esposa, Gu Kailai, foi condenada pelo envenenamento e morte de um empresário britânico que era amigo da família.

A alta corte de Jinan, na província de Shandong, onde Bo foi originalmente julgado, disse ter ficado satisfeita com o resultado do primeiro julgamento e disse não ver motivo para mudar a pena.

Bo, de 64 anos, era o chefe do partido comunista na metrópole de Chongqing, no sudoeste chinês. Durante seu julgamento, ele apresentou uma defesa inflamada, desqualificando o depoimento da sua esposa contra ele como sendo delírios de uma insana na esperança de ter sua própria sentença reduzida.

Ele repetidamente declarou-se inocente, embora tenha admitido que tomou decisões equivocadas e que envergonhou seu país pela forma como lidou com seu ex-chefe de polícia Wang Lijun, primeiro a informar a Bo que Gu provavelmente havia matado o empresário Neil Heywood. /REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaBo Xilai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.