Tribunal condena Galliano em caso de antissemitismo

Um tribunal de Paris condenou nesta quinta-feira o ex-estilista da Christian Dior John Galliano por fazer insultos antissemitas. Ele recebeu uma pena suspensa de 6 mil euros (US$ 8,400) em multas. De acordo com esse tipo de punição, ele só precisará pagar o valor se voltar a cometer o mesmo delito em um período de cinco anos. Porém pela decisão ele deverá pagar 13,5 mil euros por danos na esfera civil contra três pessoas e cinco associações.

AE, Agência Estado

08 Setembro 2011 | 09h32

Galliano não foi condenado à prisão. Ele não compareceu ao tribunal para acompanhar a audiência. A punição foi dada por "insultos públicos baseados na origem, afiliação religiosa, raça ou etnicidade", em dois diferentes incidentes em um bar da capital da França.

As acusações custaram a Galliano o prestigioso emprego na casa Dior. Galliano disse que estava sob a influência do álcool e de remédios e não podia se lembrar dos incidentes.

Galliano foi demitido da Dior em março, dias antes de um desfile, após a divulgação de um vídeo em que Galliano declarava seu amor por Hitler. O vídeo apareceu dias após Galliano ser detido por fazer comentários antissemitas contra duas pessoas em um bar. O incidente motivou uma terceira pessoa a acusar o artista de fazer comentários similares no mesmo bar em outubro passado. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
França Galliano condenação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.