Tribunal da Nigéria rejeita invalidação da eleição presidencial

Justiça afirma que não há provas suficientes para confirmar irregularidades na vitória de Umaru Yar'Adua

Efe,

26 de fevereiro de 2008 | 10h39

Um tribunal da Nigéria rejeitou nesta terça-feira, 26, dois recursos apresentados pela oposição para invalidar os resultados das eleições do ano passado. O Tribunal de Apelações da Nigéria anunciou que foi confirmada a vitória de Umaru Yar'Adua no pleito de 21 de abril do ano passado. Os recursos tinham sido apresentados pelos dois principais candidatos da oposição, o ex-governante militar Muhammadu Buhari e pelo ex-vice-presidente Atiku Abubakar. Em seu veredicto, lido na capital Abuja e retransmitido ao vivo pela televisão, o Tribunal de Apelações considerou que as irregularidades denunciadas não eram suficientes para invalidar o resultado total da votação. As partes podem apelar na Corte Suprema de Justiça. Abubakar já antecipou que recorrerá ao alto tribunal. O julgamento durou seis meses, quando foram apresentadas provas sobre as irregularidades registradas no pleito de 2007, que, segundo a oposição, beneficiaram Yar'Adua, candidato do governante Partido Popular Democrático (PDP). Yar'Adua admitiu, durante a inauguração de seu mandato, em 25 de maio de 2007, que o pleito teve "erros e defeitos", e propôs a todas as partes mudar as leis e instituições eleitorais para evitar que isso se repetisse. A missão de observação eleitoral da União Européia disse que o pleito que levou Yar'Adua à vitória "não podem ser considerados críveis" e acrescentou que, em alguns Estados, as eleições provavelmente foram fraudulentas.

Tudo o que sabemos sobre:
Nigériaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.