Tribunal de Honduras escolhe defesa de Zelaya

Um tribunal designou três advogados do governo para defenderem o presidente destituído de Honduras Manuel Zelaya das acusações de corrupção. O juiz penal de Tegucigalpa Claudio Aguilar disse em entrevista coletiva que a solicitação da Procuradoria Geral nomeou os defensores públicos Crosvin Lanza, Anael Orellana e Eduardo Turcios para o caso.

AE, Agência Estado

18 de dezembro de 2010 | 15h15

Na véspera, o presidente Porfírio Lobo pediu à procuradora geral Ethel Deras que agilizasse a situação de Zelaya a fim de que ele volte o quanto antes para o país. Ethel disse aos jornalistas que "a Procuradoria atuará como parte acusadora junto ao Ministério Público, em sua condição de vítima dos atos de corrupção dos quais Zelaya é acusado", depois de resistir a pressões oficiais para adiar a repatriação de Zelaya, refugiado na República Dominicana.

Com base em investigação do Tribunal de Contas, a Receita Federal do país acusa Zelaya de sete delitos, cinco deles de caráter político e dois por fraude e falsificação de documentos públicos para supostamente sacar do Banco Central cerca de US$ 3 milhões em espécie. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasZelaya

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.