Tribunal determina prisão de professores em greve nos EUA

Dois juízes do Condado de Monmouth, no Estado norte-americano Nova Jersey, ordenaram hoje a prisão de 38 professores do distrito de Middletown que se recusaram a cumprir uma ordem judicial de volta ao trabalho. Os cerca de 700 professores primários e secundários do distrito estão em greve há cinco dias e agora 85 deles estão presos. Os professores, que atendem um total de 10.500 crianças, reivindicam um novo contrato coletivo de trabalho, já que o anterior expirou em 30 de junho. Eles recebem em média salários de US$ 56 mil por ano e estão contestando a proposta de novo contrato da Junta de Educação local, que exige que eles recolham uma contribuição maior para o seguro de saúde. É a primeira vez em 23 anos que professores grevistas são presos em Nova Jersey.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.