Tribunal determina que revista pague 15 mil euros a atriz francesa

Publicação revelou o caso entre ela e o presidente François Hollande

O Estado de S. Paulo,

27 de março de 2014 | 17h29

PARIS - Um tribunal francês determinou nesta quinta-feira, 27, que a revista francesa Closer pague à atriz Julie Gayet 15 mil euros por publicar fotos que revelaram o caso entre ela e o presidente francês François Hollande, disse o seu advogado à agência Reuters.

A reportagem de sete páginas publicada em 1o de janeiro mostrava as idas e vindas de um apartamento alugado por Gayet fora de Paris. Incluía a chegada noturna e a partida matinal de Gayet e, separadamente, de um homem que usava um capacete preto supostamente identificado como Hollande.

Nenhum deles negou o caso, mas Gayet entrou com uma ação alegando invasão de privacidade. Hollande preferiu não acionar a revista.

O advogado de Gayet, Jean Ennochi, que pediu uma indenização muito mais alta, de cerca de 50 mil euros, disse que a vida de sua cliente "virou de cabeça para baixo" pela publicação. A divulgação pela revista foi seguida da separação de Hollande de sua parceira de oito anos, Valerie Trierweiler.

O escândalo foi muito prejudicial a Hollande, cujos índices de popularidade estão em mínimos históricos, enquanto ele tenta lutar contra o aumento do desemprego e estimular o crescimento da segunda maior economia da zona do euro.

Gayet, apoiadora do Partido Socialista, que já atuou em filmes franceses, incluindo a comédia "Quai d'Orsay" (2013), apoiou Hollande durante a corrida presidencial de 2012. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.