Tribunal do Egito condena ativistas por conta de protestos

Um tribunal egípcio condenou três ativistas a três anos de prisão neste domingo por conta de seus papéis nos recentes protestos, depois de um julgamento que aprofundou as preocupações dos grupos de direitos humanos sobre as liberdades políticas.

Reuters

22 de dezembro de 2013 | 09h46

Os três ativistas são Ahmed Maher, Ahmed Douma e Mohamed Adel, figuras proeminentes do movimento de protestos que começou em 2011 o levante contra o presidente Hosni Mubarak. Cada um também foi multado em 50 mil libras egípcias (7,2 mil dólares).

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOCONDENA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.