Tribunal dos EUA indicia 13 membros do Anonymous

Réus serão acusados de causar danos a computadores protegidos

O Estado de S. Paulo,

03 de outubro de 2013 | 18h59

Um juiz norte-americano indiciou nesta quinta-feira, 3, 13 membros do grupo de hackers Anonymous por supostamente realizar ataques cibernéticos em todo o mundo, incluindo alvos que se recusaram a processar os pagamentos para o WikiLeaks, o site anti-sigilo fundado por Julian Assange.

Os membros do Anonymous moradores dos EUA são acusados de invadir computadores de governos, associações comerciais, escritórios de advocacia, instituições financeiras e demais organizações que se opõem a filosofia do grupo.

A acusação apresentada em um tribunal federal diz que entre setembro de 2010 e janeiro de 2011, membros do Anonymous participaram de uma campanha chamada Operação Payback, usando técnicas para sobrecarregar sites com enormes quantidades de tráfego de internet e tirá-los do ar.

Em dezembro de 2010 , os conspiradores teriam discutidos possíveis alvos relacionados ao WikiLeaks, que recebeu mais de 700 mil documentos e vídeos de Chelsea Manning, o maior vazamento de material secreto na história dos EUA.

Membros do Anonymous se concentraram em sites críticos ao WikiLeaks e grandes empresas como Mastercard e Visa, que não processaram doações ao site. As metas ainda incluíram a promotoria sueca pela conexão com mandados de prisão emitido por crimes sexuais Assange.

Os 13 membros do Anonymous foram acusados de conspirar para intencionalmente causar danos a computadores protegidos . / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.