REUTERS/Amr Abdallah Dalsh
REUTERS/Amr Abdallah Dalsh

Tribunal egípcio anula prisão perpétua de ex-presidente Mohamed Morsi

Ex-líder é acusado de espionagem e colaboração com organizações estrangeiras para planejar ataques no país

O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2016 | 08h10

CAIRO - O Tribunal de Cassação do Egito anulou nesta terça-feira, 22, a prisão perpétua contra o ex-presidente Mohamed Morsi e ordenou um novo julgamento em um caso no qual é acusado de espionagem e colaboração com organizações estrangeiras para planejar ataques no Egito, incluindo o movimento palestino Hamas.

Também foi cancelada a condenação do líder da Irmandade Muçulmana, Muhammad Badie, e de outros 15 dirigentes e membros da confraria.

No dia 15, a mesma Corte anulou a condenação à morte contra o ex-presidente egípcio por sua fuga de uma prisão durante a revolução de 2011 e ordenou a realização de um novo julgamento.

Primeiro presidente a ser eleito democraticamente após a revolução no país, Morsi foi derrubado em meados de 2013 pelo general que se tornou presidente, Abdel-Fattah Al-Sissi, após protestos em massa contra seu governo. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.