AFP
AFP

Tribunal julgará mais quatro por fuga de Chapo Guzmán

No total, já são sete os acusados no caso que investiga fuga do líder do Cartel de Sinaloa de presídio de segurança máxima no México

O Estado de S. Paulo

08 Setembro 2015 | 11h09

CIDADE DO MÉXICO - Um tribunal mexicano julgará outros quatro servidores públicos suspeitos de envolvimento na fuga do narcotraficante Joaquín "El Chapo" Guzmán, chefe do Cartel de Sinaloa.  No total, já são sete os acusados no caso, informou na madrugada desta terça-feira, 8, o Conselho Judiciário Federal (CJF).

O órgão administrador do Poder Judiciário no México afirmou que o Quarto Juizado de Distrito de Processos Penais Federais no Estado do México, com sede em Toluca, ditou auto formal de prisão, que implica no início de um julgamento penal, contra os quatro funcionários.

O Conselho Judiciário detalhou em comunicado que os quatro estão detidos no Centro Federal de Readaptação Social Número 1 "Altiplano", em Almoloya de Juárez, no Estado do México desde o dia 29.

Ainda de acordo com o CJF, o tribunal concluiu que não houve falha no sistema de monitoração da cela 20, onde se encontrava Guzmán. Os quatro servidores públicos não seguiram os protocolos de segurança, nem as normas às quais estavam obrigadas, assim como também não informaram oportunamente da fuga.

Esse fato permitiu ao juiz da causa considerar que os quatro funcionários (dois do Centro de Investigação e Segurança Nacional e dois do Centro de Controle de Monitoração, dependentes do Centro Federal de Readaptação Social Número 1) favoreceram a fuga de Guzmán.

No último dia 24 de julho, o Conselho Judiciário informou que outros três funcionários - o ex-encarregado do centro de controle da prisão e dois guardas - serão julgados também como suspeitos na fuga de "El Chapo" através de um túnel de um quilômetro e meio que ia de uma casa em construção fora do presídio até a cela do detento. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.