Tribunal militar condena Ben Ali a 20 anos de prisão

Um tribunal militar tunisiano condenou, nesta quarta-feira, o ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali a 20 anos de prisão por incitação à violência.

AE, Agência Estado

13 de junho de 2012 | 12h15

Trata-se da primeira condenação de Ben Ali num tribunal militar. Ele já foi condenado por tráfico de drogas, comércio ilegal de armas e abuso de fundos públicos e sentenciado a 66 anos de prisão por um tribunal civil.

Ben Ali foi derrubado por um levante popular e fugiu para a Arábia Saudita em 14 de janeiro de 2011. Sua queda inspirou uma série de movimentos pró-democracia em toda a região, movimento que ganhou o nome de Primavera Árabe.

O tribunal condenou Ben Ali por ter dado ordens às forças de segurança para que atirassem contra manifestantes. O caso julgado nesta quarta-feira trata de um incidente na cidade de Ouardanine, quando a polícia disparou contra uma multidão que tentava impedir o sobrinho de Ben Ali, Kais, de fugir do país. Quatro pessoas foram mortas.

Uma série de outras autoridades, também condenadas à revelia pelo caso, receberam sentenças de dez anos, segundo a agência estatal de notícias, e outras que estão detidas foram condenadas a cinco anos de prisão.

Os parentes das vítimas receberam indenizações que oscilam entre US$ 100 mil e US$ 150 mil.

Um segundo julgamento militar também está em curso sobre as mortes de cerca de 20 manifestantes no sul do país. Pelo menos 338 pessoas morreram durante o levante e outras 2.147 ficaram feridas. A Tunísia já fez vários pedidos à Arábia Saudita para a extradição de Ben Ali. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.