Tribunal nigeriano manda amputar perna de agressor

Um homem que amputou a perna da mulher, acusando-a de infidelidade, foi condenado, por um tribunal islâmico nigeriano, a sofrer o mesmo castigo, informam fontes do Judiciário da cidade de Kano, no norte do país.O condenado foi identificado como Adamu Hussaini Maidoya, de 45 anos, que em agosto de 2002 amputou a perna direita de sua mulher Amina, com quem era casado há 20 anos e teve oito filhos. Maidoya cometeu o crime por acreditar que Amina cometera uma infidelidade. De acordo com a Sharia, ou lei islâmica, o agressor agora deverá sofrer o mesmo tratamento, sem anestesia.Quando o tribunal pronunciou a sentença, o réu irrompeu em lágrimas. A mulher, por sua vez, garante ter perdoado o marido, e continua a viver com ele. A Sharia é aplicada em 12 Estados do norte da Nigéria desde o ano 2000, a despeito da oposição do governo central - que se proclama cristão - e dos organismos de defesa dos direitos humanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.