Tribunal paquistanês pede prisão de ex-presidente

Um tribunal paquistanês emitiu um mandado de prisão para o ex-presidente exilado Pervez Musharraf, por envolvimento no assassinato da ex-premiê Benazir Bhutto em 2007, informou um porta-voz de Musharraf neste sábado.

REUTERS

12 de fevereiro de 2011 | 10h29

Bhutto foi assassinada em um atentado após um comício eleitoral na cidade de Rawalpindi no dia 27 de dezembro de 2007, semanas depois de ela ter voltado ao Paquistão após anos de exílio.

Seu assassinato foi um dos eventos mais chocantes da turbulenta história do Paquistão e ainda não foi esclarecido.

"O tribunal emitiu um mandado de prisão e requer o comparecimento dele (Musharraf) perante o tribunal durante a próxima audiência em 19 de Fevereiro", disse Saif Ali, porta-voz de Musharraf.

Ali afirmou que a decisão foi aparentemente baseada em um relatório da Agência Federal de Investigação, que apontou o envolvimento de Musharraf no crime. O promotor não estava imediatamente disponível para comentar.

Musharraf, um ex-chefe militar que chegou ao poder em um sangrento golpe de Estado em 1999, tem vivido num autoimposto exílio desde que deixou o cargo sob ameaça de impeachment em 2008. Ele passa a maior parte de seu tempo em Londres e Dubai.

No entanto, ele sinalizou a intenção de regressar ao Paquistão e diz que vai abrir escritórios para o seu novo partido político em março.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOMUSHARRAFBHUTTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.