Tribunal rejeita processo contra cartuns de Maomé

Um tribunal dinamarquês rejeitou nesta quinta-feira um processo de difamação contra o jornal que publicou em primeira mão as polêmicas caricaturas do profeta Maomé, que desencadearam revolta entre os seguidores do Islã em todo o mundo.O tribunal da cidade de Aarhus rejeitou a denúncia apresentada por sete grupos muçulmanos da Dinamarca, segundo os quais as 12 caricaturas publicadas no ano passado pelo jornal Jyllands-Posten tinham como objetivo insultar Maomé e fazer pouco caso do Islã.As leis islâmicas proíbem a divulgação de imagens ou ilustrações de Maomé, até mesmo as positivas, para evitar a idolatria."Não se pode ignorar que as ilustrações ofenderam a honra de muitos muçulmanos", considerou o tribunal, mas não há base jurídica para admitir que "o propósito dos desenhos era manifestar opiniões que diminuíssem os muçulmanos".O editor Jyllands-Posten celebrou a decisão da corte. Os grupos que apresentaram a queixa disseram que apelarão a uma instância superior da justiça dinamarquesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.