Tribunal russo condena sete pessoas por protesto

Um tribunal da Rússia proferiu sentenças de prisão de até quatro anos na segunda-feira

AE, Agência Estado

24 de fevereiro de 2014 | 13h38

para sete pessoas que participaram de um protesto contra Vladimir Putin em 2012. Um oitavo réu recebeu liberdade condicional.

Centenas de manifestantes se reuniram em frente à corte para condenar o julgamento e a repressão do Kremlin à oposição. A polícia deteve cerca de 200 pessoas, acusando-as de violar a ordem pública. Entre os detidos, estavam integrantes da banda punk Pussy Riot, que passaram quase dois anos na prisão como punição por outro protesto contra Putin.

Os réus condenados hoje estavam entre as 28 pessoas detidas após protesto realizado em 6 de maio de 2012, na véspera da tomada de posse de Putin para o terceiro mandato presidencial. A manifestação se tornou violenta depois que a polícia restringiu o acesso à Praça Bolotnaya, que fica do outro lado do rio em relação ao Kremlin, onde os manifestantes tinham permissão para se reunir.

Os oito réus foram considerados culpados na semana passada, mas a leitura da sentença foi adiada até esta segunda-feira. Todos foram mantidos em custódia por quase dois anos, exceto Anastasia Dukhanina, 20 anos, que estava sob prisão domiciliar. Ela recebeu liberdade condicional.

Dmitry Agranovsky, advogado de Andrei Belousov, um estudante de 22 anos de idade

condenado a dois anos e meio de prisão, disse acreditar que a punição severa era em parte uma reação do Kremlin aos protestos violentos na vizinha Ucrânia, que derrubaram o governo na semana passada. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.