Tribunal russo rejeita ação de neto de Stalin contra jornal

Neto queria desculpas e indenização por suposta difamação do líder soviético.

BBC Brasil, BBC

13 de outubro de 2009 | 17h07

Um tribunal de Moscou rejeitou nesta terça-feira uma ação apresentada pelo neto de Joseph Stalin contra um jornal russo que ele acusava de ter difamado o ex-líder soviético.

Yevgeny Dzhugashvili disse que um artigo publicado na Novaya Gazeta, que afirma que Stalin pessoalmente ordenou a morte de cidadãos soviéticos, seria mentiroso.

Ele queria uma indenização e um pedido de desculpas do jornal, que faz oposição ao governo russo.

O artigo publica o que diz serem documentos secretos com ordens de assassinatos que teriam a assinatura do próprio Stalin. Mas o neto afirma que seu avô nunca ordenou diretamente nenhuma morte.

Dzhugashvili tem cinco dias para apelar contra a decisão.

O caso é visto por muitos como parte de uma campanha do Kremlin para reabilitar a reputação do ex-líder.

A imprensa russa diz que os motivos que levaram o tribunal a rejeitar a ação de Dzhugashvili vão ser divulgados posteriormente. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.