Tribunal tailandês admite pedido de dissolução de partido do Governo

Partido é acusado de uso indevido de crédito durante campanha eleitoral de 2005

EFE,

28 de abril de 2010 | 08h45

BANGCOC - O Tribunal Constitucional da Tailândia admitiu nesta quarta-feira, 28, a tramitação do pedido da Comissão Eleitoral para a dissolução do Partido Democrata, a principal formação da coalizão do governo, pelo suposto uso fraudulento de um empréstimo concedido para as eleições de 2005.

 

O partido liderado pelo primeiro-ministro, Abhisit Vejjajiva, é acusado de usar indevidamente um crédito de 29 milhões de bats (US$ 987 mil) concedido pela Comissão Eleitoral à campanha de 2005.

 

A decisão judicial chega quando a Tailândia está imersa em uma profunda crise política reaberta pelos protestos dos manifestantes contra o Governo, que ocupam há semanas o coração comercial de Bangcoc.

 

Em maio, o órgão eleitoral deve apresentar uma segunda solicitação de dissolução do Partido Democrata.

 

A legislação tailandesa proíbe aos partidos políticos financiar suas atividades mediante doações do setor privado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.