Said Khatib
Said Khatib

Trigêmeos são batizados 'Jerusalém', 'Capital' e 'Palestina' em Gaza

Casal de palestinos quis protestar pela decisão de Trump de declarar Jerusalém capital de Israel

O Estado de S.Paulo

02 Fevereiro 2018 | 20h49

FAIXA DE GAZA - Alguns atiram pedras, outros inventam novas formas de protesto. Um casal da Faixa de Gaza se manifestou à sua maneira contra a decisão dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém como capital de Israel e batizou seus trigêmeos recém-nascidos de "Jerusalém", "Capital" e "Palestina".

"Graças a Deus tive trigêmeos, e pudemos, assim, protestar contra a decisão de Trump", disse nesta sexta-feira(2) à AFP a mãe dos bebês, Islam al-Sukili, de 25 anos, em sua casa de Khan Yunes, no sul da Faixa de Gaza.

Jerusalém e Palestina são os dois meninos, e Capital, a menina. Nasceram em dezembro, duas semanas depois de o presidente americano, Donald Trump, anunciar que os Estados Unidos reconheceriam Jerusalém como capital de Israel.

Esta iniciativa unilateral, que rompeu décadas de diplomacia americana e o consenso internacional, causou indignação entre os palestinos que reivindicam Jerusalém Oriental, anexada por Israel, como capital do Estado ao qual aspiram. Israel proclama que toda Jerusalém é sua capital "indivisível".

"A decisão de Trump não tem nenhum valor, Jerusalém é nossa capital eterna", afirmou o pai dos trigêmeos, Nidal Sukili, de 30 anos.

Os Sukili estão felizes de mostrar às visitas seus bebês dormindo um do lado do outro com suas respetivas certidões de nascimento em seus cobertores.

Mas, além da aspiração nacional, estes pais têm preocupações muito concretas em um território assediado pelas guerras, pela pobreza e pelos bloqueios israelenses e egípcios.

"Nosso problema são as fraldas e o leite", lamentou a mãe, cujo marido está desempregado. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.