Ahmed Jadallah/Reuters/Arquivo
Ahmed Jadallah/Reuters/Arquivo

Trípoli nega morte de filho de Kadafi em ataque da Otan

Porta-voz do governo líbio diz se tratar de 'mentiras sujas para encobrir a morte de civis na cidade'

AE, Agência Estado

05 de agosto de 2011 | 09h03

Atualizado às 10h14

 

TRÍPOLI - O governo da Líbia negou nesta sexta-feira, 5, a afirmação das forças rebeldes de que um ataque da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) durante a noite teria matado Khamis, filho de Muamar Kadafi, na cidade de Zliten.

 

Veja também:

linkOtan teria matado filho de Kadafi, dizem rebeldes

linkRebeldes planejam nova ofensiva em Trípoli

especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia

 

"Basicamente, as notícias sobre a morte de Khamis durante um ataque da Otan são mentiras sujas para encobrir a morte de civis na cidade", disse o porta-voz do governo, Mussa Ibrahim.

 

Os rebeldes chegaram a afirmar que outras 31 pessoas também teriam morrido nos ataques da Otan, além de Khamis, que era o comandante da 32ª Brigada, uma das mais temidas pelos insurgentes.

 

Aos cerca de 30 anos, Khamis vinha liderando as milícias contra os rebeldes, e tinha se destacado por conseguir frear o avanço dos insurgentes na capital. O porta-voz dos rebeldes líbios, Mohammad al-Rajali, havia dito mais cedo que a informação sobre a morte do filho de Kadafi ainda não estava confirmada.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaKadafifilhomorteOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.