Trípoli tem tiroteios; primeiro balanço oficial registra 48 mortes

Forças leais a Kadafi bombardearam algumas zonas da cidade de Bengazi, que está em poder dos rebeldes

estadão.com.br com Reuters e Efe,

19 de março de 2011 | 22h20

  Míssil Tomahawk é lançado do Mediterrâneo. Foto: Divulgação/AP   

Atualizado às 5h03 para acréscimo de informação

 

TRÍPOLI - Pelo menos 48 pessoas morreram e 150 ficaram feridas nos ataques realizados pela coalizão internacional, afirmou a televisão estatal líbia, enquanto foram escutados disparos e baterias antiaéreas na madrugada de domingo (noite de sábado no Brasil) em Trípoli, segundo a transmissão ao vivo da rede Al Jazeera.

Veja também:

especialTwitter: Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia

blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

A capital da Líbia, Trípoli, registrou pesados tiroteios antiaéreos. Os tiroteios foram seguidos por explosões e tiros de metralhadoras, além de gritos de "Deus é maior". Por sua vez, em Bengazi, as forças leais a Kadafi bombardearam algumas zonas da cidade oriental que está em poder dos rebeldes, segundo relatou a televisão Al Jazeera.

Citando fontes anônimas, o canal disse que as forças de Kadafi usaram tanques para cercar a cidade e que alguns residentes se refugiaram em mesquitas em busca de proteção.

Intervenção. Uma coalizão formada por EUA, França, Reino Unido, Canadá e Itália ampliou os ataques contra as forças do ditador líbio, Muamar kadafi, neste sábado, 19. Segundo o Pentágono, as Marinhas dos Estados Unidos e do Reino Unido lançaram mais de 110 mísseis do tipo Tomahawk vindos de submarinos posicionados no Mar Mediterrâneo para destruir 20 alvos de defesa antiaérea do coronel nas cidades de Misrata e Trípoli. A operação foi batizada de 'Odisseia da Alvorada' (Odissey Dawn, em tradução livre).

Leia ainda:

linkPequim lamenta ataques das forças conjuntas contra a Líbia

linkChávez chama de 'irresponsabilidade' intervenção militar na Líbia

linkCoalizão está pronta para agir contra Kadafi, diz Obama no Brasil

Tudo o que sabemos sobre:
Líbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.