Tripulante de avião nega briga na cabine

O primeiro oficial do avião da Northwest Airlines que não pousou e ultrapassou o seu destino final em 240 quilômetros disse que não houve discussão na cabine e nem o capitão estava dormindo ou os passageiros correndo perigo. Dois dias depois do voo 188 "esquecer" de pousar, à medida que os controladores de tráfego tentavam contatar os tripulantes usando rádio, telefone celular e mensagens de dados, o piloto Richard Cole não disse o que os levou a esquecer de aterrissar. Ele era o primeiro oficial do voo que tinha Timothy Cheney como capitão.

AE-AP, Agencia Estado

24 de outubro de 2009 | 17h35

"Nós não estávamos dormindo, não estávamos discutindo, não estávamos brigando", disse Cole. Durante mais de uma hora, os controladores de tráfego e pilotos tentaram contatar o avião e a Guarda Nacional estava preparando jatos para cercar a aeronave partindo de duas localidades. "Não foi um evento sério do ponto de vista de segurança", ele disse.

Um relatório da polícia divulgado na sexta informa que os pilotos passaram por testes de nível de álcool. Chaney e Cole tinham apenas começado sua semana de trabalho depois de um descanso de 19 horas. O relatório da polícia disse também que a tripulação indicou que os dois estavam discutindo as políticas internas da companhia aérea.

Tudo o que sabemos sobre:
aviãobrigatráfego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.