Tripulantes não serão libertados até pedido de desculpas

O governo chinês voltou a insistir hoje que não libertará os 24 militares norte-americanos detidos há mais de uma semana na base aérea de Hainan, na China, até que os EUA peça desculpas e assuma a responsabilidade pelo acidente aéreo no Mar da China. Um porta-voz do governo chinês afirmou que as declarações e comunicados do governo dos EUA sobre o acidente são ?inaceitáveis? e não estão ajudando a acabar com a crise diplomática entre os dois países. O acidente aconteceu há nove dias, quando um avião de espionagem da Marinha americana pousou no solo chinês sem autorização após colidir com um caça de interceptação chinês. ?Os EUA devem responder apropriadamente? os pedidos da China se não querem ?complicar a coisas?, advertiu Zhu Bangzao, porta-voz do governo chinês. Ontem à tarde, diplomáticas dos EUA se reuniram, pela quarta vez consecutiva, com os tripulantes detidos e expressaram sua satisfação pelas condições oferecidas aos militares pelo governo chinês. Leia Também:Bush adverte sobre danos nas relações bilaterais Líder teme que a palavra `refém´ faça seu governo parecer fraco

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.