Tristeza marca virada do ano em diversos países

A tragédia na Ásia trouxe um clima de tristeza às comemorações pelo ano-novo em vários países. Em Sydney, na Austrália, cuja maior festa anual é a celebração do réveillon, as autoridades disseram que era muito tarde para cancelar os eventos, incluindo as caras celebrações ao redor de seu porto e os espetáculos de fogos multimilionários na Ponte Harbor. Na Austrália, a virada do ano ocorreu às 11 horas de hoje pelo horário brasileiro.Três horas antes do evento, no entanto, os organizadores pediram ao público estimado em 1 milhão de pessoas que fizesse um minuto de silêncio pelas vítimas na Ásia. "O tsunami está na mente de todo mundo", disse o turista britânico Mark Stiles. A Oxfam, agência de ajuda humanitária, informou que as doações superaram as expectativas no país.Na Europa, mais demonstrações de tristeza. São centenas as vítimas européias na Ásia e grande o número de pessoas desaparecidas. Na Avenida Champs Elysées, onde Paris faz sua festa tradicional, as árvores e as luzes foram cobertas de pano negro, em sinal de luto. Pelo menos 117 franceses morreram na catástrofe e 560 estão desaparecidos.Em Berlim, as autoridades pedem para a população doar o dinheiro que seria usado com fogos de artifício. Pisa, na Itália, fez algo semelhante. Cancelou os festejos e decidiu usar a verba para ajuda humanitária.Os londrinos resolveram manter a festa, com fogos, desfile e shows, mas vão doar o dinheiro arrecadado nos eventos aos países atingidos pela tragédia. Já a Suécia, um dos países mais afetados pela tragédia, com 44 mortos e 3.500 desaparecidos, transformou o 1.º de janeiro em dia oficial de luto.Bem mais perto, a Argentina chorava hoje os 175 jovens mortos no incêndio de uma boate em Buenos Aires, ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.