Tropa da ONU enfrenta rebelião em presídio no Haiti

Tropas de paz da ONU cercam a penitenciária nacional do Haiti, onde sete detentos foram mortos na noite de quarta-feira. Armados com pedras e facas, condenados tentaram destruir partes da prisão e escapar, enquanto homens com armas de fogo, do lado de fora, atiravam contra os muros, disse Frtizner Pierre, diretor do sistema penitenciário.Pierre atribuiu a violência ao vazamento da informação de que alguns detentos seriam transferidos. Ele disse que os presos mortos foram assassinados pelos colegas, por se recusarem a aderir à rebelião.Muitos detentos são membros do governo deposto de Jean-Bertrand Aristide, ou seguidores do líder exilado. A violência no país se intensifica com a aproximação do primeiro aniversário da queda de Aristide, em fevereiro. Pelo menos 100 pessoas já foram mortas em atos de violência política desde 30 de setembro, quando grupos pró-Aristide passaram a exigir seu retorno.As tensões entre o governo provisório haitiano e os ex-militares rebelados que derrubaram Aristide. Eles exigem a reinstituição do Exército, dissolvido pelo presidente deposto em 1994, e os pagamentos atrasados. Os ex-soldado se recusam a depor as armas. Já os milicianos pró-Aristide dizem que não se desarmarão até que os soldados o façam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.