Tropa iraquiana assume posições de americanos em Faluja

Milícias compostas por iraquianos assumiram posições deixadas pelos fuzileiros navais americanos que se retiram do cerco à cidade de Faluja. Um oficial dos EUA disse que foi firmado um acordo para permitir que iraquianos patrulhem as ruas e o fim do sítio, que já dura um mês. Escaramuças continuam, porém, e um carro-bomba matou dois americanos, ferindo outros seis, num acampamento de tropas na cidade.Membros da milícia iraquiana de 1.100 homens assumiram as posições deixadas pelos fuzileiros no sudeste de Faluja e hastearam a bandeira iraquiana. o porta-voz militar general Mark Kimmitt disse que os americanos estão se ?reposicionando? e continuarão presentes na cidade e nos arredores. O general insistiu em dizer que não se trata de uma ?retirada?.Negociações também prosseguem na cidade de Najaf, onde líderes locais e a polícia discutem o fim do impasse entre soldados e os milicianos leais ao xiita radical Muqtada al-Sadr. Em Bagdá, o corpo de um líder de bairro foi encontrado enforcado, com um cartaz no peito onde se lia ?Negócios do Exército Al-Mahdi?, nome da milícia de Al-Sadr. ?Aparentemente, ele (a vítima) foi espancado, torturado e enforcado?, disse Kimmitt.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.