Tropa usa bombas de fumaça para conter multidão no Haiti

Tropas da missão das Nações Unidas no Haiti, chefiada pelo Brasil, dispararam bombas de fumaça para deter centenas de vítimas famintas das enchentes que atingem o país. A multidão tentava invadir uma área de distribuição de comida, aumentando desespero e a anarquia após a passagem da tempestade Jeanne. O número de mortos chega agora a 1.160, uma semana depois da tormenta.Cerca de 500 pessoas se reuniram numa escola católica onde o grupo humanitário CARE Internacional distribuía comida, apenas para mulheres - numa tentativa de controlar o tamanho da multidão. Logo, no entanto, homens e crianças se aglomeraram no local e tentaram derrubar um portão de ferro. Quando os soldados argentinos usaram as granadas a multidão fugiu, mas retornou logo que a fumaça se dissipou."É loucura", disse Arito Ferreira, um policial português que faz parte da força de paz da ONU em Gonaives, a cidade mais atingida pela tempestade. Ele se queixa da distribuição caótica de comida. "Eles chegam sem aviso. Estão tentando fazer o bem, mas as pessoas vão se machucar". Ferreira falava depois que um caminhão de 18 rodas, carregando suprimentos, foi atacado por moradores ao entrar na cidade. Pessoas pularam sobre o veículo em movimento, arrombaram as portas e jogaram caixas de donativos para fora. Ontem, um homem com uma chave inglesa perseguiu voluntários que levavam caldeirões de sopa para uma igreja, gritando: "Vocês não querem me forçar a usar isto!"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.