Tropas britânicas se retiram de região mais perigosa do Afeganistão

Distrito de Sangin, na província de Helmand é foco de baixas para tropas do Reino Unido

Efe,

20 de setembro de 2010 | 09h07

As forças britânicas no Afeganistão cederam nesta segunda-feira, 20, às americanas o controle militar do conflituoso distrito de Sangin, na província de Helmand (sul), um dos pontos do Afeganistão onde as tropas do Reino Unido sofreram mais baixas.

A chegada de mais soldados dos Estados Unidos possibilitou esta decisão, explicou a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), sob comando da Otan em comunicado, no qual assegurou que, como parte deste "reajuste tático", as tropas britânicas poderão agora se desdobrar em outros pontos do terço central de Helmand.

A Isaf lembrou que as forças britânicas chegaram a Sangin em 2006 e assegurou que desde então, junto com o contingente afegão, trabalharam para "oferecer segurança e permitir que estabeleça o Governo e o desenvolvimento econômico", mas agora serão as tropas norte-americanas que vão continuar com este trabalho.

"A atitude, o serviço, e o sacrifício que os Marines Reais prestaram foi exemplar e deu um muito bom exemplo ao povo de Sangin", declarou o governador do distrito, Mohammad Sharif, segundo a nota da Isaf.

O maior general americano Richard P. Mills, comandante regional da Isaf no sudoeste, louvou por sua parte o contingente britânico e assegurou que ele alcançou "uma bolha de segurança sólida" na região que agora abandona.

Na extensa província de Helmand viveiro do ópio afegão, operam cerca de oito mil soldados britânicos.

Apenas em Sangin, o contingente britânico perdeu uma centena de soldados.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoTalebanReino UnidoEUAOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.