Tropas chinesas disparam contra manifestantes tibetanos-ativista

Tropas chinesas dispararam nesta segunda-feira contra milhares de tibetanos que realizavam um protesto na província de Sichuan, matando uma pessoas e ferindo cerca de 30, disse o grupo pró-direitos humanos Free Tibet, com sede em Londres.

REUTERS

23 de janeiro de 2012 | 12h57

De acordo com um e-mail do grupo, que faz campanha pela autodeterminação das regiões tibetanas, vários milhares de pessoas se reuniram em um cruzamento em Luhuo, cerca de 590 quilômetros a oeste de Chengdu, a capital de Sichuan, e seguiram em passeata até a sede do governo local, onde forças de segurança abriram fogo por volta de meio-dia.

Os manifestantes protestavam contra a prisão, no início do dia, de alguns tibetanos por ligações com a distribuição de panfletos com o slogan,"O Tibete Precisa de Liberdade", o qual afirmava que mais tibetanos estão prontos para autoimolações.

A informação não pôde ser checada de imediato. Um funcionário do setor de segurança da região disse não estar a par de nenhum incidente.

"Não há nada acontecento. Não sei de nada", disse ele, que em seguida bateu o telefone.

As forças de segurança chinesas estão em alerta por causa de 16 incidentes de autoimolações por parte de tibetanos étnicos no ano passado, numa demonstração do ressentimento, cada vez maior, contra o controle do governo chinês à sua religião.

(Por Ken Wills e Chris Buckley)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINATIBETEPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.