Tropas da Índia atiram em manifestantes na Caxemira; 1 morto

O sentimento contra o governo indiano é forte na Caxemira; separatistas concocaram greve geral

Associated Press,

26 de outubro de 2008 | 09h40

Tropas do governo na Caxemira indiana abriram fogo neste domingo, 26, contra centenas de manifestantes furiosos que exigiam a libertação de dezenas de pessoas presas durante uma greve recente. Um manifestante foi morto e pelo menos outros três ficaram feridos, disseram autoridades.   Os manifestantes muçulmanos da cidade de Baramullah, a 55 km de Srinagar, principal município do Estado indiano de Jammu-Caxemira, atiraram pedras e entraram em confronto com a polícia e soldados, que de início reagiram a golpes de cassetete e bombas de gás, e em seguida a bala, disse o inspetor-geral adjunto do local, Abdul Gani Mir.    Ele disse que a morte e os ferimentos serão investigados.   Na sexta-feira, 24, uma greve geral havia sido organizada pelo Comitê de Coordenação de Jammu-Caxemira, uma coalizão de separatistas muçulmanos e empresários locais. Durante o dia, pelo menos 10 pessoas foram presas. Mir diz que houve apenas quatro prisões.   O sentimento contra o governo indiano é forte na Caxemira, onde a maioria da população defende a independência ou a anexação ao Paquistão.   Pelo menos 45 pessoas morreram em distúrbios desde agosto, a maioria baleada durante confrontos entre manifestantes e polícia.   Índia e Paquistão já travaram duas guerras pelo controle da Caxemira, uma região dividida entre os dois países. Separatistas lutam desde 1989 pelo fim do controle da Índia sobre sua parte da área. O confronto já matou cerca de 68 mil pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
índiacaxemira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.