Tropas da ONU envolvem-se em combate no Congo

Centenas de rebeldes ruandeses atacaram o vilarejo de Kingi no leste do Congo, dando início a uma batalha de duas horas que deixou pelo menos cinco mortos, entre soldados congoleses e invasores, disse um religioso local. Em outro incidente, tropas das Nações Unidas mataram dez guerreiros tribais congoleses em uma batalha no distrito de Ituri, no nordeste do país, disse um porta-voz da ONU. Dois soldados das forças de paz ficaram feridos. Pelo menos 360 ruandeses atacaram Kingi a partir de três posições distintas, usando granadas propelidas por foguete e metralhadoras. Eles foram de casa em caca, roubando dinheiro, comida, roupas e objetos pessoais, disse o pastor Musafiri Byuma da Igreja Pentecostal local. Os assaltantes também levaram remédios do posto de saúde local. Os rebeldes ruandeses incluem militares e milicianos que fugiram do país depois de participar do genocídio de 1994, que deixou meio milhão de mortos. No distrito de Ituri, a batalha teve início quando guerreiros de uma facção da tribo Lendu atacaram soldados nepaleses das Nações Unidas, forçando a ONU a enviar mais homens e helicópteros para destruir duas bases usadas pelos milicianos, disse Leocadio Salmeron, porta-voz da missão no Congo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.