Maxim Shemetov / REUTERS
Maxim Shemetov / REUTERS

Tropas da Ucrânia lutam para conter rebeldes em Debaltseve

Separatistas pró-Rússia promovem ofensiva no leste do país e líder militar insurgente avisa que vai aumentar as tropas

O Estado de S. Paulo

02 de fevereiro de 2015 | 15h00

KIEV - As tropas da Ucrânia lutaram nesta segunda-feira, 2, para repelir o ataque feito por separatistas pró-Rússia, numa tentativa de capturar uma estação ferroviária estratégica no leste do país. Em mais um sinal negativo para os esforços de paz na região, o líder dos rebeldes também anunciou planos para aumentar suas forças.

Desde que o conflito no leste da Ucrânia ganhou vigor em janeiro, os separatistas têm realizado ataques para tomar territórios do governo oficial. Sua principal linha ofensiva agora se dirige a Debaltseve, uma pequena cidade ferroviária controlada por Kiev, localizada entre as cidades rebeldes de Donetsk e Luhansk. Quase duas mil pessoas deixaram o local nos últimos dias, antecipando o combate.

De acordo com o porta-voz das operações militares da Ucrânia, Andrei Lysenko, as forças rebeldes fizeram várias incursões na região, mas todas elas foram repelidas. "As unidades que chegaram em apoio às nossas tropas em Debaltseve estão contra-atacando e negando ao inimigo a oportunidade de fechar o cerco", disse.

Combatentes separatistas romperam as linhas de defesa ucranianas na semana passada, na vila de Vuhlehirsk, junto à estrada rumo a Debaltseve. No ataque, os rebeldes tomaram o controle de um morro que dá vista à ferrovia ao norte da cidade. Na segunda-feira, repórteres da Associated Press viram tanques ucranianos atirarem em direção ao morro e, depois, recuarem centenas de metros em uma nova formação.

Enquanto isso, o líder separatista em Donetsk, Alexander Zakharchenko, afirmou que novos planos de mobilização devem aumentar o contingente em 100 mil combatentes. Não se sabe quantos separatistas o exército rebelde possui e nem como Zakharchenko pretende ampliar as tropas.

Os rebeldes reconhecem que alguns cidadãos russos lutam contra as tropas ucranianas, mas rejeitam a acusação de que estão recebendo apoio militar da Rússia. Especialistas ocidentais afirmam que a quantidade de armamentos pesados sob controle separatistas provam o auxílio extensivo de Moscou. "Enquanto ainda temos tempo antes da primavera, novos destacamentos poderão receber treinamento militar", disse Zakharchenko. "Esperamos que a mobilização renda ao menos cinco brigadas adicionais". / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.