Tropas de Israel atacam o sul de Gaza e deixa ao menos 7 mortos

Tropas israelenses invadiram o sul da Faixa de Gaza na manhã desta quinta-feira, matando ao menos sete palestinos, incluindo quatro milicianos e três civis, sendo que um deles é um menino de oito anos. Esta foi a última ofensiva realizada pelo exército de Israel, que já dura um mês, segundo oficiais palestinos.Cerca de 50 tanques acompanhados de escavadeiras entraram em uma área próxima a fronteira entre Gaza e Egito durante a noite, posicionando-se perto do aeroporto Yasser Arafat, que está desativado, segundo moradores e oficiais de segurança palestinos. As tropas avançaram aproximadamente oito quilômetros, a maior desde que a ofensiva começou, em junho, bloqueando a principal estrada de Gaza e a entrada oriental à cidade de Rafah, cidade na fronteira com o Egito. Assim que as tropas se posicionaram, aviões militares de Israel lançaram mísseis sobre quatro grupos de soldados, matando quatro deles. Vinte e seis palestinos foram feridos pelos ataques aéreos, ao menos 10 deles eram milicianos, segundo afirmaram hospitais e fontes oficiais. Ainda durante a madrugada, forças incendiaram um tanque de combustível em área residencial, matando um menino de oito anos e ferindo três pessoas, segundo um hospital local. Outros dois corpos foram levados ao hospital na manhã desta quinta-feira, mas os médicos não acreditam que sejam de milicianos envolvidos em ataques a Israel. O exército de Israel confirmou que estava executando uma força militar no sul de Gaza. A força aérea do país atacou milicianos que estavam encarregados de lançar mísseis antiaéreos contra as forças israelense, segundo os soldados.Israel lançou a ofensiva contra Gaza depois do dia 25 de junho, quando militantes do Hamas atacaram um posto do exército israelense, matando dois soldados e capturando um terceiro.Desde então, Israel tem feito diversos ataques terrestres ao território de Gaza, mantendo confrontos com milicianos e deixando para trás uma destruição considerável.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.