Tropas do governo da Síria matam pelo menos 28 civis

Bombardeios e tiroteios pelo exército sírio deixaram neste sábado pelo menos 28 civis mortos em centros de protesto, incluindo 17 na cidade de Daraa, informou o Observatório Sírio para Direitos Humanos, citando ainda a morte de três soldados nos confrontos.

GABRIELA MELLO, Agência Estado

09 de junho de 2012 | 14h27

Nove mulheres e três crianças estavam entre as 17 pessoas que foram mortas em um bombardeio antes do amanhecer de um bairro residencial de Daraa, de acordo com a entidade. Dezenas de pessoas ficaram feriados, algumas seriamente, na região que foi o local de nascimento da revolta popular contra o regime do presidente Bashar al-Assad, em março de 2011, acrescentou o observatório.

Também na província de Daraa, as forças de segurança abriram fogo no vilarejo de Abtaa, ferindo um número de civis e prendendo outros nove, segundo o órgão. Na cidade de Homs, na parte central da Síria, as tropas do regime de Assad cercaram os distritos rebeldes de Khaldiyeh, Jouret al-Shiyah, Al-Karabis e Qusayr com artilharia e morteiros, em um esforço para retomar o controle das áreas. Cinco pessoas morreram no bombardeio de Khaldiyeh, enquanto outras duas foram mortas a tiros em Qusayr, onde confrontos eclodiram, revelou o observatório.

Ativistas que vivem nos bairros antigos de Homs relatam que os feridos estão sendo privados do acesso aos hospitais, enquanto soldados e homens armados impedem a entrada e a saída dos moradores. Eles pedem que os observadores da ONU visitem as regiões afetadas e alertaram sobre uma "catástrofe humanitária."

Em outra parte da província, "a cidade de Talbisseh foi bombardeada por forças do governo, que sofreram perdas por vários dias antes de os rebeldes tomarem os seus postos de controle na cidade", revelou o observatório. Também foram registradas baixas nas províncias de Aleppo e Latakia. Um total de 46 soldados, 16 civis e 18 rebeldes foram mortos em um ataque na cidade de Al-Heffa.

A TV estatal da Síria culpou hoje os "grupos terroristas armados" pela violência. Mais de 13.500 pessoas foram mortas em toda a Síria desde que o levante popular começou 16 meses atrás, de acordo com dados do observatório. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Bashar al-AssadONUDaraa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.