Mauricio Lima para The New York Times
Mauricio Lima para The New York Times

Tropas dos EUA retiradas da Síria devem combater o EI no Iraque

Segundo o secretário de Defesa, Mark Esper, governo americano estuda a possibilidade de mover 700 unidades militares para o oeste do Iraque

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2019 | 01h51

O secretário de defesa dos Estados Unidos, Mark Esper, declarou à jornalistas que as tropas americanas retiradas da Síria serão movidas para o Iraque. Segundo Esper, os militares vão continuar a atuar em operações contra o Estado Islâmico (EI), a fim de impedir um possível ressurgimento do grupo no país.

A declaração de Esper é a primeira de uma autoridade americana a confirmar o destino das tropas retiradas da Síria, e a detalhar a continuidade do combate ao EI. O secretário de Defesa ainda informou que conversou com autoridades iranianas sobre a possibilidade de enviar 700 unidades militares à região oeste do Iraque.

Ainda de acordo com Esper, as tropas enviadas ao Iraque terão duas missões, incluindo o combate ao Estado Islâmico.

"A primeira é ajudar a defender o Iraque e a segunda é executar uma missão de combate ao EI, enquanto aguardamos novas ordens", disse Esper. E completou "As coisas podem mudar entre o momento atual até completarmos a transferência das tropas, mas o plano momentâneo é esse."  

Atualmente os Estados Unidos tem mais de 5.000 militares no Iraque, por força de um acordo entre os dois países. Os EUA retiraram as tropas do Iraque em 2011, quando as atividades militares da Guerra do Iraque foram retiradas, mas retornaram ao país em 2014, depois que o Estado Islâmico começou a conquistar territórios no país. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.