Tropas dos EUA treinam como cruzar rios no Iraque

Unidades de tanques do Exército dos Estados Unidos estão realizando uma série de manobras no Estado do Texas com o objetivo de treinar para o possível cruzamento do rio Eufrates, no Iraque, informou hoje o jornal The Washington Post.Segundo o diário, tanques M-1 da primeira divisão de cavalaria do Exército estão realizando as manobras nas proximidades do Fort Hood e ensaiando travessia de rios. Porta-vozes da unidade militar negam as especulações de que as manobras estejam relacionadas a uma possível ofensiva contra o Iraque.Apesar do desmentido, assessores militares do Pentágono têm reiterado que - ao contrário do que ocorreu na Guerra do Golfo, entre 1990 e 1991 - uma nova intervenção militar no Iraque incluiria obrigatoriamente um avanço até a capital Bagdá. Para isso, terão de cruzar os múltiplos canais do Eufrates."O rio é o único grande problema militar que os soldados americanos enfrentariam no Iraque. Depois de cruzarmos, os militares iraquianos não poderão fazer mais nada", disse ao jornal um estrategista militar do Pentágono.Alguns analistas militares norte-americanos estão preocupados com a possibilidade de as tropas dos EUA demorarem muito tempo na travessia do rio, o que poderia dar uma boa chance para os soldados iraquianos rechaçarem a ofensiva com artilharia pesada.Outra preocupação é a de que os engenheiros de combate iraquianos - as peças mais competentes do aparato militar do presidente Saddam Hussein - dinamitem as pontes sobre o Eufrates nos pontos onde ele é mais profundo.A missão específica dada aos soldados de Fort Hood em treinamento na semana passada foi a de atravessar um rio tão rápido quanto possível, evitando tornar-se um alvo fácil para o fogo inimigo. Na essência, a operação está orquestrando o movimento de milhares de soldados e de centenas de tanques e peças de artilharia pesada através da água. Soldados norte-americanos estão realizando também manobras com unidades anfíbias no Kuwait. Na terça-feira, o Pentágono tinha anunciado para esta semana o início dos exercícios - dos quais participam cerca de 2 mil marines -, que devem se estender por três ou quatro semanas. O ministro da Defesa do Kuwait, xeque Jaber Mubarak al-Sabah, informou que as manobras já estavam programadas e se realizam todos os anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.