Tropas Filipinas entram em combate com militantes

Supostos militantes muçulmanos atacaram tropas do governo que vigiavam o local de construção de uma escola no domingo, dando início a um combate que matou 13 homens, dois fuzileiros e pelo menos um morador local, disseram um comandante e uma moradora.

AE/AP, Agência Estado

25 Setembro 2011 | 09h47

Cerca de 50 homens armados atacaram dois destacamentos de fuzilaria na cidade de Talipao, na província de Sulu, ao amanhecer, mas foram repelidos em duas horas de forte batalha, disse o comandante coronel Romeo Tanalgo. Seis outros militares ficaram feridos e em seguida os homens armados se separaram e entraram na floresta, completou ele.

A moradora local Miriam Jalani disse que seu sobrinho foi morto na casa deles em Talipao por atiradores, e outros quatro parentes ficaram feridos durante o combate. Vários moradores fugiram de suas casas, carregando malas de roupas e alimentos. "Estamos com medo de sermos pegos no fogo cruzado", disse ela enquanto se preparava para fugir de sua casa.

Os homens armados eram provavelmente jovens militantes muçulmanos treinados pelo Abu Sayyaf, um grupo ligado à Al-Qaeda e considerado como organização terrorista pelos Estados Unidos e Filipinas, e pela Frente Nacional de Liberação Moro, que também tem presença na comunidade, disseram autoridades militares. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Filipinas terrorismo ataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.