Tropas governamentais entram na capital da Somália

Tropas governamentais da Somália entraram em Mogadiscio nesta quinta-feira, 28, horas após um movimento islâmico que tentou estabelecer um governo teocrático baseado no Islã ter abandonado a capital do país.O anúncio foi feito em declarações aos jornalistas pelo primeiro-ministro somali, Ali Muhammad Ghedi, na localidade de Afgoye, a cerca de vinte quilômetros da capital."Já estamos em Mogadíscio", afirmou Ghedi, que afirmou que as tropas foram recebidas com sinais de boas-vindas nas ruas da cidade.A entrada das forças ocorreu em certas áreas dos arredores de Mogadíscio, mas ainda não chegaram ao centro da capital, segundo a agência de notícias EFE pôde comprovar.A entrada dos soldados do governo de transição da Somália aconteceu sem nenhuma resistência armada. A cidade foi abandonada nas últimas horas pelos guerrilheiros das Cortes Islâmicas, a fim de evitar a destruição da capital e uma luta sangrenta.Desde que aconteceu a saída dos combatentes islâmicos, o caos tomou conta da cidade, com tiroteios, saques e blitzes instaladas por milicianos dos "senhores da guerra", que esperam recuperar o poder que perderam há seis meses.Ghedi disse aos jornalistas que agora estão sendo coordenados os passos para que as tropas oficiais tomem o controle total da cidade.A princípio, os soldados da Etiópia, que apóiam o governo de transição, estão nos arredores da cidade.O primeiro-ministro etíope, Meles Zenawi, disse nesta quinta em entrevista coletiva que espera as consultas entre o governo de transição, os conselhos de anciãos e os "senhores da guerra", para preparar a entrada dos soldados na cidade."Se (o governo de transição) nos pedir para entrar em Mogadiscio e apoiar a estabilização, primeiro gostaríamos de estar certos de que essa é a opinião dos líderes dos clãs da cidade", acrescentou Zenawi.Matéria ampliada às 13h37

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.