Tropas guardam cédulas em quarto de faxineiro

Em Cité Soleil, região mais perigosa de Porto Príncipe, as cédulas eleitorais foram guardadas pela Minustah (Forças de Paz da ONU no Haiti) e pela polícia haitiana no barraco do faxineiro de uma escola na noite de sábado, véspera da eleição.

, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2010 | 00h00

Impressas em outros países, como o México, e em algumas gráficas do próprio Haiti, as cédulas foram primeiro levadas para a base militar brasileira em Porto Príncipe.

No início da noite de sábado, o material foi transportado para os pontos de votação. Em uma escola, o posto foi montado em tendas em um terreno que, segundo um militar brasileiro, tinha o muro muito baixo. Apenas um barraco, onde dormia um faxineiro idoso, oferecia as condições para guardar as cédulas. Irritado, ele acatou as ordens da polícia. Emprestou até o cadeado da porta. Seu barraco, de três metros por dois, ficou quase lotado.Caixas ocuparam a parte de cima e de baixo de sua cama. O liquidificador, uma bola de plástico e uma toalha de coração pendurada abriram espaço para o material de campanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.